Fiscal de salto

Foto: Reuters

Foto: Reuters

Muitos devem ter acompanhado, nos últimos dias, notícias sobre o Festival de Cannes, o que é natural sempre que acontece. Dias e dias depois do evento ainda comentam o que rolou, desde filmes até vestidos e tendências, mas uma denúncia marcou bastante esse 68º Festival de Cannes, o fato nada a ver de proibirem a entrada de mulheres SEM SALTO. Isso é possível? Pois é, parece que em Cannes, sim. De acordo com publicações do The Hollywood Reporter, mulheres sem salto foram impedidas de entrar em algumas exibições (?).

Isso só acontece em Cannes? Não. Acompanhamos notícias de festas específicas, em outros países, que, simplesmente, mandam mulheres sem salto voltarem para casa e calçarem um para poder entrar. Não é necessário nem listar o quão absurdo é isso. Todos sabem: tem gente que não gosta de salto, tem gente que tem problemas de coluna ou saúde em geral e não pode usar um, tem gente que apenas não quer nem olhar para aquele calçado com 5 ou 10 cm em certos dias, gente que ama aquele seu sapato incrível sem salto… É possível passar o dia listando várias ocasiões para não usar. Qual o problema em não querer usar salto?

A situação até parecia ser outra: abriram o festival com um filme dirigido por uma mulher; criaram o programa Women in Motion: debates em conferências para destacar o trabalho da mulher no cinema; realizam premiações, mas, no fundo, situação como essa de não poder usar sapato sem salto mostra que não é bem assim.

As notícias foram bem específicas, uma delas foi que algumas das mulheres foram impedidas de assistir a exibição do filme “Carol” (Cate Blanchett e Rooney Mara) por usarem um sapato plataforma (?). Após as denúncias, a atriz Emily Blunt decidiu boicotar o festival dando a sua opinião na coletiva de imprensa do filme “Sicario”, o qual atua: “Todo mundo deveria usar sapato rasteiro, para ser sincera. Ninguém deveria usar saltos hoje. É muito irritante, bem quando achava que estavam chegando novas ondas de igualdade”, palavras de Blunt, de acordo com The Guardian.

Em resposta, o diretor do festival Thierry Fremaux negou a obrigação do salto: “os rumores que dizem que em Cannes se exige sapato de salto para as mulheres são infundados”, disse o diretor em sua conta no Twitter. Mas, como falamos, essa não foi a primeira vez e não acontece só em Cannes, notícias de que mulheres são barradas por políticas idiotas de vestuário existem até em baladas.

Uma coisa é fato: que isso sirva e, certeza, vai servir de lição para que não tenha esse tipo de proibição. Desde quando uma pessoa deixa de ser incrível por não estar de salto?! Podemos escolher o nosso sapato? Se você quer usar salto, use, se você não quer/pode, não use! Essa é a nossa política.

Beijos.